Sobre como se imunizar contra o medo

Tempo de leitura: 5 minutos

O que falar desse momento singular e histórico que estamos passando? O que podemos esperar para o futuro?

Devo confessar que já passei por muitas coisas nessa vida, mas nunca vivi em meio a uma pandemia viral, tendo que aceitar a condição de prisioneiro na minha própria casa.

A última pandemia que assolou o mundo aconteceu em 1918, a famosa gripe espanhola e eu ainda nem havia nascido, mas sei que contaminou cerca de ¼ da população do planeta Terra.

Aliás, só a título de curiosidade, muitas das instruções feitas pelos governantes daquela época são bem parecidas com às que vemos hoje…

Trecho de periódico da época da gripe espanhola. (Foto: reprodução da internet sem fonte conhecida/divulgação)

Pois muito bem, as diferenças da gripe espanhola para o Coronavírus são gritantes; a medicina, com a ajuda da ciência e da tecnologia evoluiu anos luz e a capacidade de realização de pesquisas em tempo recorde nos acenam com possibilidades reais de conseguirmos controlar essa pandemia muito em breve, ao contrário do que apregoa a mídia sensacionalista e direcionada que invade as nossas casas e celulares só com previsões catastróficas.

Tudo bem que no cenário atual, temos mais incertezas do que verdades absolutas, mas gostaria de deixar registrado que prefiro ser otimista. Contabilizar o número de pessoas que estão se curando ou passaram pelo problema sem ter certeza se foram contaminados ou não, do que alardear o número de mortos, por que isso os telejornais, revistas e a internet já estão divulgando 24 horas por dia, atemorizando a população.

E vocês sabem o que mais assusta o ser humano?

O MEDO.

Sim. O medo tornou-se um hábito em nosso tempo. Medo de desempenho, medo de demissão, medo de estrangeiros, medo de solidão, medo dos fenômenos da natureza, das oscilações climáticas, medo financeiro, medo político, medo de que nosso filho se envolva com drogas e agora medo do vírus. O medo não apenas pode causar doenças psicológicas, mas também físicas e, portanto, devemos afastá-lo das nossas vidas, por que quanto mais medo, mas ficamos vulneráveis e as doenças chegam com mais facilidade; o medo pode comprometer a resistência do organismo humano.

E vamos combinar que no Brasil não faltam doenças, que acometem a população de muitas localidades, principalmente em função da precariedade do saneamento básico (abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos e drenagem e manejo das águas pluviais urbanas), o que não favorece em nada que as pessoas dessas localidades tenham condições adequadas de higiene.

Pois bem, e como podemos trabalhar a mente para controlar o medo nessa fase de quarentena?

Nesses últimos 30 dias, em que não consigo dormir mais do que 7 horas por noite, tenho aproveitado as 17 horas restantes do dia para pensar a respeito do futuro, o que vai acontecer na vida das pessoas, das empresas, da política, da economia, temas que todos vocês que estão lendo esse texto devem estar pensando também, mas confesso que tenho aproveitado uma grande parte do meu tempo para trocar ideias (pelo Whatsapp, telefone e também pelo Zoom) com pessoas de variadas formações, idades, áreas de atuação; tenho lido jornais, revistas e artigos na internet do meu interesse, conversado com meus familiares e profissionais da minha empresa e tenho feito tudo isso com muito prazer, tranquilidade e PACIÊNCIA.

Eis aqui a palavra-coringa dessa temporada pandêmica: PACIÊNCIA! (Como diziam os Ramenzoni que me precederam: a paciência é a rainha das virtudes.)

E por que eu digo isso com tanta clareza?

Porque se você for uma pessoa paciente, você vai ser uma pessoa boa!

E eu não estou me referindo em ser uma pessoa boa para as outras pessoas, mas uma pessoa BOA para você mesmo, simplesmente porque dessa forma você vai viver e sentir melhor.

Exercitar a paciência mesmo com quem você está com vontade de dar uma sacudida, contribui para que essa pessoa possa parar, re-pensar e quem sabe se transformar também em uma pessoa mais paciente.

E vou além, quando somos mais pacientes conosco, sem nem nos darmos conta, estamos tratando melhor o nosso sistema imunológico, estamos nos cuidando, nos fazendo bem.

A vida é o que acontece no presente, no agora e tem um monte de coisas que não podemos mudar; temos que aceitar! A crise do Coronavírus está aí para não me deixar mentir… quem poderia imaginar no réveillon de 2019 que o mundo ficaria na situação em que se encontra neste mês de abril de 2020?

Então, fica a dica: goste mais de você!

Não queira mudar o que não pode ser mudado nesse momento. Como vocês todos sabem, eu amo andar de moto pelo mundo a fora, mas agora eu não posso! Não adianta querer… não dá. Paciência!

Vamos aproveitar a quarentena para exercitar a paciência nos afazeres de casa, nas atribuições do novo esquema de home office, com os familiares, amigos, parceiros de trabalho, com as intempéries da natureza, para vencer o medo e quando tudo isso terminar, creia, você vai ser um ser humano melhor e com mais chances de superar as próximas dificuldades.

Vai passar!

Tenha PACIÊNCIA!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *